A razão pela qual os trabalhadores dispensam a proteção das mãos e o que pode ser feito para acabar com maus hábitos

Sempre que as mãos de um trabalhador estão expostas, estão em risco.

Eis um mal-entendido comum acerca do incumprimento: não é o facto de os trabalhadores nunca usarem luvas. O problema mais significativo é o facto de os trabalhadores descalçarem as luvas em momentos cruciais durante o dia de trabalho. Esse comportamento pode estar relacionado com o hábito. 

Não é invulgar ver trabalhadores descalçarem as luvas para assinar recibos ou notas de entrega ou para espreitar o telemóvel – todos estes comportamentos podem tornar-se habituais. 

Tudo isto importa, porque os trabalhadores fazem escolhas semelhantes todos os dias. Eles decidem se irão usar luvas ou descalçar as luvas por qualquer razão. A respetiva zona de conforto no que diz respeito aos EPI forma-se ao longo do tempo. 

Para aumentar o cumprimento e quebrar o “ciclo do hábito”, as entidades patronais têm de ajudar os trabalhadores a redefinir a respetiva ZONA DE CONFORTO™. Isto requer avanços tecnológicos nas luvas, em conjunto com uma melhor instrução sobre práticas de segurança e uma abordagem muito mais ponderada e pró-ativa à mudança de comportamentos e à cessação de hábitos contraproducentes. 

 

 

Transferir o guia 
Saiba mais sobre a redefinição da sua ZONA DE CONFORTO

 

Produtos adequados

Tipo de produto
Luva
Tipo de proteção
Protecção contra cortes
Aplicações ideais
Oficinas automóveis
Montagem de peças
Montagem final
Maquinagem, trabalhos com metais
Manutenção
Manuseamento de materiais
Montagem primária
Operações de estampagem
Indústrias primárias
Aerospace
Automotive & Transportation
Automotive after market
Machinery & Equipment
Metal fabrication
Mining
Oil processing and refining
Transport