Alcançar a máxima proteção contra cortes

Paul Tierney, diretor de marketing da Ansell, fala sobre a escolha das luvas certas

Ano após ano, as lesões das mãos estão entre as principais causas de idas às urgências e de absentismo por baixa médica. As duas formas mais comuns de lesões das mãos são os cortes e as lacerações, tornando a proteção contra cortes uma questão importante na gestão de segurança nos dias de hoje.

Gloves in action

Cada local de trabalho apresenta um conjunto único de perigos e ambientes, pelo que pode ser difícil determinar a escolha mais adequada para cada trabalhador. Paul Tierney, o nosso diretor de marketing de proteção contra cortes, reuniu-se connosco para debater a complicada tarefa de escolher as luvas certas, permitindo em simultâneo que o utilizador execute as suas tarefas conforme necessário.

P1: O que envolve a proteção dos trabalhadores contra lesões por cortes?

Uma abordagem comum passa por luvas de proteção, especialmente aquelas concebidas para resistir aos cortes. Enquanto projetistas e fabricantes de luvas resistentes aos cortes, consideramos elementos como fios resistentes aos cortes, resistência aos rasgões de tecidos tricotados e resistência à abrasão. Também analisamos outras propriedades, como aderência e destreza, como aspetos importantes da proteção contra cortes.

Para além de luvas, a proteção contra cortes também inclui outros fatores não relacionados com vestuário de proteção, como proteções de máquinas, disposição do local de trabalho, condições de trabalho e formação dos trabalhadores. As luvas, por muito importantes que sejam para nós, são frequentemente vistas como a última linha de defesa. Os responsáveis de segurança devem, em primeiro lugar, fazer tudo o que estiver ao seu alcance para garantir que as mãos dos trabalhadores não são expostas a riscos.

P2: O que é tem de ser considerado ao escolher o nível necessário de proteção contra cortes? Não basta escolher o nível mais alto disponível?

Abordar um sintoma não é suficiente. Consideremos, por exemplo, uma lesão por corte: não é tão simples como aumentar o nível de resistência aos cortes na luva – é preciso identificar a causa subjacente.

… não é tão simples como aumentar o nível de resistência aos cortes na luva…

A lesão por corte deveu-se a um objeto aguçado, perda de aderência, uma luva mal adaptada ou cansaço do trabalhador? Há muitos outros elementos que podem ter estado na origem do corte. É importante que os perigos sejam totalmente avaliados e que seja escolhida a luva correta. As lesões ocorrem frequentemente devido a uma má seleção ou a uma falta de compreensão das necessidades do utilizador.

P3: Em 2016, ocorreu uma grande atualização da norma de segurança EN 388; pode explicar as novidades e o que a mesma significa para as pessoas que selecionam luvas de proteção?

As tecnologias têm evoluído desde a primeira norma em 1994 e a norma anterior de 2003. Novos fios especialmente concebidos (fibra de vidro, aço inoxidável, etc.) tornaram o método normalizado de teste de corte inconsistente e pouco fiável, devido ao facto de apresentar uma grande variabilidade entre laboratórios – e até mesmo dentro do mesmo laboratório. Portanto, a necessidade de novos métodos de ensaio era urgente.

Ao testar a resistência à abrasão, o papel abrasivo especificado na norma antiga foi descontinuado, o que deu origem à utilização de uma variedade de papéis diferentes e a resultados inconsistentes. Na revisão mais recente da norma, foi definido um novo papel abrasivo, permitindo aos laboratórios testar de forma fiável e consistente.

Recentemente, emergiu uma tendência de luvas produzidas com amortecedores de impactos como característica de proteção. Como não havia maneira de testar a eficácia destes amortecedores de forma consistente, os fabricantes de luvas começaram a fazer alegações sem quaisquer testes verificáveis. Para proporcionar maior clareza sobre este assunto, foi desenvolvido um teste de proteção contra impactos. As luvas terão de ser aprovadas neste teste antes de poderem alegar a referida proteção.

Por último – e talvez com o maior impacto para o setor –, foi introduzido um novo teste de corte EN ISO. Este destina-se especificamente a materiais resistentes aos cortes que apresentam um efeito de perda do fio de corte sobre as lâminas utilizadas no teste Coupe. Os fabricantes de luvas têm agora dois testes relativos à resistência aos cortes. Os gestores de segurança têm de compreender como funcionam esses testes e o que os mesmos significam para as pessoas que usam as luvas.

P4: Diz-se por vezes que o cabedal é o melhor material para proteção do corpo. De acordo com a sua experiência, que materiais disponíveis no mercado suprem os desafios atuais de resistência intensiva aos cortes?

leather glove

O cabedal está longe de ser ideal como material resistente aos cortes.

O cabedal está longe de ser ideal como material resistente aos cortes. Sendo um produto natural, existem inconsistências no material. A utilização fidedigna de cabedal na proteção contra cortes constitui um desafio para os fabricantes. Afinal, o cabedal é simplesmente pele – pelo que proteger a pele humana com produtos à base de pele de animais já não faz sentido.

Hoje em dia, existem muitos fios que podem oferecer níveis elevados de proteção. Alguns dos mais eficazes são combinações ou fios especialmente concebidos. Por exemplo, as para-aramidas são cinco vezes mais resistentes do que o aço e também existe o polietileno de elevado desempenho, que é três vezes mais resistente do que as para-aramidas. Este último também é muito confortável e proporciona uma extraordinária destreza. Somos muito mais capazes de conceber, testar e fabricar luvas utilizando estes fios e proporcionar níveis elevados de proteção contra cortes que também se mantêm fiáveis ao longo do tempo.

P5: O que mais é importante na avaliação da proteção contra cortes e na escolha de luvas?

Aderência – a importância torna-se evidente quando consideramos o facto de os objetos com arestas aguçadas representarem uma ameaça muito maior quando estão em movimento. Uma aderência segura, combinada com o nível adequado de resistência aos cortes, pode reduzir significativamente o risco de lesões por cortes. A prevenção de deslizes e a diminuição da força de preensão necessária ao realizar uma tarefa proporcionam maior controlo ao utilizador.

P6: Os trabalhadores afirmam frequentemente que preferem luvas que proporcionem proteção, destreza e conforto – tais produtos existem ou as luvas são concebidas com apenas um ou dois destes elementos?

No passado, era algo difícil de concretizar – muitas vezes era necessário sacrificar a destreza ao maximizar a proteção. Contudo, com os fios avançados atuais e novas formas de testar o desempenho de segurança, podemos aproximar-nos mais do nosso objetivo de conceber luvas que os trabalhadores gostam de usar.

Os produtos HyFlex® com INTERCEPT™ Technology são um bom exemplo. A gama INTERCEPT™ combina fibras especialmente concebidas, sintéticas e naturais para alcançar níveis mais elevados de resistência aos cortes. As fibras são uma mistura de fios especialmente concebidos, como para-aramida e polietileno de elevado desempenho. Quando misturamos estes fios com fios confortáveis como licra e algodão, podemos criar excelentes produtos.

P7: Como funciona exatamente a INTERCEPT Technology e quais são os seus principais benefícios – para empresas, gestores de segurança e por fim para a segurança dos trabalhadores?

R: A INTERCEPT™ Technology derivava de exigências industriais globais de soluções mais abrangentes de proteção contra cortes, especialmente aplicações comuns onde são conhecidos riscos de cortes. Recorrendo ao seu conhecimento íntimo dessas indústrias, a Ansell certificou-se de que tinha total controlo de uma ponta à outra quando começou a produzir a gama – desde o aprovisionamento de matérias-primas, aos padrões de tricotagem e à realização do revestimento por imersão de luvas nas nossas próprias fábricas.

Este processo permitiu-nos alcançar um desempenho consistente de resistência aos cortes, uma vantagem da INTERCEPT™ Technology. O facto de saberem que os seus trabalhadores estão constantemente protegidos proporciona paz de espírito aos gestores de segurança.

P8: Uma aderência flexível é um dos principais benefícios da mais recente série HyFlex®. Pode explicar por que outros motivos os trabalhadores devem escolher estas luvas?

R: A nossa mais recente série HyFlex® resolve muitos dos problemas que debatemos. Os modelos oferecem uma área reforçada da articulação do polegar para proporcionar maior durabilidade e conforto para uso prolongado, são repelentes de óleos e também são das mais leves luvas resistentes aos cortes.

P9: Gostaria de acrescentar mais alguma coisa?

R: Os produtos que fornecem “resistência aos cortes” e “proteção contra cortes” não evitam nem eliminam totalmente o potencial de cortes ou furos e não foram concebidos nem testados para fornecer proteção contra lâminas elétricas, de serrilha ou outros equipamentos aguçados ou rotativos. Os utilizadores são incentivados a tomar todas as medidas de precaução ao manusearem materiais aguçados.

Agradecemos ao Paul o tempo despendido para partilhar connosco a sua experiência!